Dia das mães no Japão, ha ha no hi
Japão Sociedade

Dia das mães no Japão: ha ha no hi e o papel materno na sociedade

O papel de uma mãe no Japão é bem definido. Entenda mais sobre a cultura japonesa e seus costumes.

O ha ha no hi é a data comemorada todo segundo domingo do mês de maio para celebrar o dia das mães no Japão, assim como no resto do mundo, salvo exceções.

Ha ha no hi – Dia das mães no Japão

Basicamente o ha ha no hi é comemorado em família, já que cai em um dia de folga. A principal diferença fica por conta dos mimos dados as mães nesta data especial.

Cravo é a flor do dia das mães no Japão

No Japão, o principal presente é dar flores, com escolha especial para o cravo. Esta e outras espécies de flores entram nas decorações e são vendidos pelas lojas.

Buquê com c

Aliás, as flores viram tema para tudo no dias das mães. O dia fica bem bonito de se ver.

Apesar de haver outros produtos, a data não carrega forte valor comercial, como acontece no Brasil, por exemplo.

Crianças dão vale serviço

Como não é uma data que os japoneses se programam para gastar dinheiro, além das flores ou de um passeio em família, as crianças usam a criatividade para agradar suas mães.

Um presente comum é dar um ticket que valha alguma tarefa doméstica que a criança se dispõem a fazer por conta da ocasião especial.

Pode se dar um vale lava louças, um vale arrumação, um vale faxina e por aí vai. É uma maneira de demonstrar gratidão e aliviar um pouco a carga das tarefas domésticas.

Uma refeição gostosa

Além das flores e dos tickets, a programação é comer alguma coisa gostosa na ocasião, mas sem nenhum prato específico, mas que seja familiar.

Desmistificando o papel das mães no Japão

Agora que você aprendeu mais detalhes sobre a data comemorativa de dia dos mães no Japão conhecido como ha ha no hi, daremos um panorama sobre as expectativas e papel da mãe na sociedade japonesa com objetivo de desmistificar o tema.

Resiliência delicada

As flores são presente comum, pois representa a simbologia do que é ser mãe no Japão. Pelo lado poético temos belas dádivas da natureza, lindas e resilientes.

Pelo lado real é uma visão romantizada das mães que devem ter seu lado sensível e delicado, suportando tudo que a maternidade exige.

Papel definido, criar e educar

Isso quer dizer que o papel da mãe na sociedade japonesa tem um lugar bem definido com expectativas.

É esperado que as mães sejam responsáveis pela educação dos filhos, preparando-os para o convívio na sociedade e se adaptarem em um ambiente competitivo da escola e do mercado de trabalho.

Oferecer vantagem competitiva

Um exemplo claro é que antes da criança entrar na escola após os três anos, é esperado que as mães já ensinem seus filhos a fazer cálculos simples e ler.

Quando as crianças entram na escola primária, faz parte do programa de ensino noções básicas de matemática e leitura, mas isso não importa.

Ensino e mercado de trabalho competitivo

O que vale é que a criança já entre em vantagem no ensino, já que sua vida acadêmica será de alto nível com competição acirrada.

A expectativa social é de que as mães aceitem o papel da maternidade em tempo integral, principalmente nos três primeiros anos de vida da criança, considerados essenciais para o desenvolvimento.

Além disso, o papel de ensinar a criança a socializar também é sua responsabilidade adequando comportamentos e ensinando limites.

Maternidade, um trabalho e tanto

Todas estas características acabam pontuando a maternidade como um trabalho em tempo integral, pois demanda dedicação, tempo, esforço e muitas vezes abrir mão dos próprios interesses e carreiras.

Afinal, ficar três anos parada no mercado de trabalho tem um preço alto. O retorno não é dos mais animadores, por isso muitas acabam decidindo por continuar a serem mães em tempo integral.

Falta de compreensão

Quem volta ao mercado de trabalho enfrenta dificuldades que são consequência de todas as expectativas descritas nos tópicos anteriores, pois são vistas como egoístas.

O pensamento é que elas deveriam cuidar dos filhos e não estarem trabalhando, desconsiderando totalmente que estas mães também precisam pagar contas.

Por conta de divórcio, renda familiar não suficiente ou apenas por querer priorizar sua saúde mental, são inúmeros os motivos que as fazem voltar ao trabalho.

Mãe trabalhando no computador, falando no telefone com filho pequeno no colo

Por isso, não é nada fácil, pois a jornada acaba sendo dupla. Depois de trabalhar o dia inteiro, a responsabilidade com a casa e filhos ainda recai sobre as mães trabalhadoras.

Leia também

Dia dos namorados no Japão: conheça nosso guia completo e tire todas as suas dúvidas sobre a data

Halloween no Japão: saiba tudo sobre esta data comemorativa

Desigualdade de gênero no Japão: mulheres recebem 26% menos

Tarefas intermináveis

Lavar louça, fazer a lavanderia, fazer o mercado, verificar se as crianças estão estudando testando seus conhecimentos, limpar a casa, preparar o banho, colocar as crianças na cama, ver se nada está faltando, preparar o obento do marido, fazer comida para todo mundo, cuidar se as contas estão todas pagas, marcar médica, levar e buscar de compromissos e muito mais.

Frustrações da vida doméstica

No Japão, esse lado cansativo da maternidade já viralizou no dia do ha ha no hi com postagens com bom humor detalhando as frustrações da vida doméstica e materna através de pinturas clássicas.

A hashtag #名画で学ぶ主婦業 #negócios de donas de casa aprendendo com obras de arte# foi postada muitas vezes no Twitter japonês em 2018.

Através do humor, surgiram muitas pessoas relatando seus perrengues como mãe e dona de casa.

Fundamentais

Ha ha no hi

Bom humor à parte, o papel da mãe na sociedade japonesa ainda exerce papel fundamental na criação e educação das crianças para o funcionamento das engrenagens sociais que visam a coletividade.

O sentimento comum que fica é de gratitude pelo trabalho duro que não é pouco no dia das mães no Japão.

0 comentário em “Dia das mães no Japão: ha ha no hi e o papel materno na sociedade

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: