Notícias do Japão
coronavírus no Japão Covid-19 no Japão Notícias notícias do Japão

Giro de notícias do Japão: 9 de março de 2021, terça-feira

Confira o relatório de novas infecções de coronavírus no Japão, protestos contra a discriminação contra mulheres aconteceram em Shibuya, país usará seringas para insulina para prosseguir com vacinação, profissionais que atuam contra pandemia estão fazendo mais de 120 horas de trabalho extra em média, novas variantes avançam no Japão e quarta onda preocupa

Em um único post, confira uma seleção de resumos das notícias do dia saídas e traduzidas dos principais portais de notícias no Japão. Confira temas de categorias diferentes, como política, entretenimento, sociedade e mais. Se atualize e saiba o que aconteceu no país de uma vez só em poucos minutos.

COVID-19 no Japão

Nesta terça-feira foram divulgados os dados sobre novos infectados pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 no Japão. Os dados são referentes aos testes realizados no dia 6 de março, sábado.

Tokyo conduziu 4.083 testes PCR no sábado em toda a prefeitura e confirmou 290 novos casos do novo coronavírus SARS-CoV-2, 174 casos a mais do relatado na segunda-feira (8), relativo aos testes conduzidos no dia 5, sexta-feira. Dos contaminados, 160 eram do sexo masculino e 130 do sexo feminino.

Medidas de restrição do estado de emergência seguem vigentes na Região Metropolitana de Tokyo. Foto por Charly Triballeau
Medidas de restrição do estado de emergência seguem vigentes na Região Metropolitana de Tokyo. Foto por Charly Triballeau

Em todo o território nacional foram confirmados 1.128 novos casos de COVID-19, dos quais 381 apresentaram sintomas graves e precisaram ser hospitalizados (39 em Tokyo). Foram registrados 58 óbitos relacionados a doença.

Além da prefeitura de Tokyo, as regiões mais afetadas pela pandemia foram Saitama (106), Osaka (103), Kanagawa (100), Chiba (82), Hokkaido (63), Hyogo (41), Aichi (39), Miyagi (35), Fukuoka (34), Ibaraki (26) e Okinawa (23).

Protesto contra a discriminação contra mulheres no Japão acontece no Dia Internacional da Mulher

Apesar do estado de emergência ainda vigente na Região Metropolitana de Tokyo (Tokyo, Saitama, Chiba e Kanagawa), aproximadamente 100 mulheres realizaram uma manifestação exigindo o fim da discriminação contra as mulheres no Dia Internacional da Mulher (8 de março).

Manifestação em Shibuya contra a discriminação contra as mulheres japoneses no Dia Internacional da Mulher
Manifestação em Shibuya contra a discriminação contra as mulheres japoneses no Dia Internacional da Mulher

A marcha aconteceu em Shibuya e com cartazes com afirmações “Nós nos recusamos a conhecer nosso lugar”, uma clara crítica ao comportamento machista da sociedade japonesa e “Não toleraremos mais nenhuma discriminação contra as mulheres”.

Uma das manifestantes, Mami Hirasawa de 35 anos e residente de Tokyo afirmou em entrevista: “Há muitos casos em que os direitos das mulheres são violados, mas as mulheres mais jovens estão gradualmente se interessando pelo assunto. Eu me juntei a passeata porque não quero ficar em silêncio contra o que não é razoável”.

Manifestação da organização Flower Demo em frente ao Ministério da Justiça do Japão no Dia Internacional das Mulhers
Manifestação da organização Flower Demo em frente ao Ministério da Justiça do Japão no Dia Internacional das Mulhers

Em frente ao Ministério da Justiça aconteceu uma manifestação do coletivo Flower Demo exigindo a revisão da lei de crimes sexuais, que deverá acontecer no início do ano fiscal de 2021 (1° de abril).

Yuri Gu, uma das organizadoras do movimento disse para a Integrated Digital News: “Eu costumava pensar em desistir, mas agora eu acredito que as coisas podem mudar. A sociedade precisa mudar para que as vítimas de violência sexual não tenham que reclamar na rua”.

Japão deverá utilizar seringas para insulina em alguns casos para realizar vacinação

Sem conseguir se abastecer com seringas especiais para retirar seis doses de cada frascos dos imunizantes Pfizer-BioNTech, o governo central passou a permitir que hospitais do país utilizem seringas de insulinas para vacinar os japoneses.

Apesar de ser possível retirar sete doses com as seringas para insulina, o tamanho da agulha subcutânea é um problema
Apesar de ser possível retirar sete doses com as seringas para insulina, o tamanho da agulha subcutânea é um problema

Seringas comuns permitem que sejam retirados até cinco doses para aplicação, ou seja, sua utilização resultaria no desperdício de milhões de doses. E apesar do Japão ter sido o país da Ásia que mais reservou imunizantes, além da questão ética, atrasaria o processo de imunização.

As seringas para insulina são capazes de retirar com segurança até sete doses, uma a mais do oferecido em cada frasco dos imunizantes Pfizer-BioNTech. Por outro lado, as agulhas para aplicação projetadas para insulina são subcutâneas e não intramusculares.

Isso significa que nem todos poderão receber os imunizantes dado o tamanho da agulha, motivo pelo qual o governo japonês permitirá o uso, mas não incentivará a prática. Além disso, serão utilizadas seringas excedentes para não prejudicar os diabéticos.

Embora seja possível em alguns casos aplicar as vacinas com seringas de insulina, o governo não deverá incentivar o uso
Embora seja possível em alguns casos aplicar as vacinas com seringas de insulina, o governo não deverá incentivar o uso

Na semana passada, o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar aprovou a seringa de baixo volume de espaço morto* da Terumo Corp., a produção deverá começar ainda no mês de março e espera produzir 20 milhões de seringas de seis doses com agulha intramuscular até abril.

*Nomes das seringas com mais espaço para imunizantes.

Overwork de trabalhadores que atuam contra a COVID-19 acende alerta

O secretário-geral do gabinete do governo Katsunobu Kato alertou sobre a quantidade alarmante de overwork (excesso de trabalho) de profissionais que atuam no combate a pandemia do novo coronavírus SARS-CoV-2.

Em um caso específico, um funcionário chegou a realizar 391 horas adicionais.
Em um caso específico, um funcionário chegou a realizar 391 horas adicionais.

De acordo com o secretário, aqueles que estão trabalhando no escritório do governo dedicado ao combate a COVID-19, as horas extras médias marcam 124 horas entre os funcionários. Em um caso específico, uma pessoa realizou 391 horas adicionais em um mês.

O ministro Yasutoshi Nishimura, responsável pela resposta a COVID-19 no Japão pediu desculpas pelo excesso de trabalho e disse que fará reformas para corrigir essa aberração que prejudica tanto a saúde dos funcionários quanto o rendimento do trablho.

Yasutoshi Nishimura afirmou que tomará medidas para aliviar funcionários
Yasutoshi Nishimura afirmou que tomará medidas para aliviar funcionários

De acordo com o ministro Taro Kono, a situação é a mais sombria de que se tem notícia. Esse gabinete possui 102 pessoas que trabalham presencialmente. Nishimura justificou o aumento do trabalho ao estado de emergência declarado pelo primeiro-ministro Yoshihide Suga em janeiro.

No entanto, em novembro de 2020, esses trabalhadores passaram em média 89 horas a mais no trabalho. Em dezembro, a média foi de 104 horas adicionais de trabalho mensal fora do horário regular.

Novas variantes do SARS-CoV-2 avançam no Japão

O Japan’s National Institute of Diseases informou nessa terça-feira que 394 pessoas foram contaminadas com as novas variantes do SARS-CoV-2. Os números confirmados podem não refletir a realidade pela baixa testagem realizada no Japão e pela contaminação local.

A maioria dos contaminados estão na região central de Tokyo. “Não acreditamos que as novas variantes sejam as dominantes, mas continuaremos acompanhando e estudando para entender a situação”, informou Tomoya Saito, diretor do Japan’s National Institute of Diseases.

Japão confirma 394 casos de infecções com as variantes B.1.1.7, P.1 e E484K
Japão confirma 394 casos de infecções com as variantes B.1.1.7, P.1 e E484K

As novas variantes aparentam ter algumas características específicas. A cepa britânica B.1.1.7 é 70% mais contagiosa e potencialmente 30% mais letal, a brasileira P.1 é também mais infecciosa e resistente a anticorpos. A sul-africana E484K parece ser resistente as vacinas.

Os novos infectados com as novas cepas não têm histórico de viagens ao exterior recentemente. Essas variantes podem ser potenciais causadoras de uma quarta onda de COVID-19 no país.

A Região Metropolitana de Tokyo estendeu o estado de emergência por duas semanas por temer a disseminação das novas cepas durante a temporada das Sakuras de 2021.

Fontes: Japan Today, Kyodo News, Asahi Shimbun, Mainichi Shimbun, NHK, Nikkei

0 comentário em “Giro de notícias do Japão: 9 de março de 2021, terça-feira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s