Notícias do Japão
coronavírus no Japão Covid-19 no Japão Notícias notícias do Japão

Giro de notícias do Japão: 24 de janeiro de 2021, domingo

Confira os dados do coronavírus no Japão das últimas 24 horas, sistema de saúde está sobrecarregado com mais de 15,000 pessoas esperando um leito, Mistubishi ganha licitação e mais

Em um único post, confira uma seleção de resumos das notícias do dia saídas e traduzidas dos principais portais de notícias no Japão. Confira temas de categorias diferentes, como política, entretenimento, sociedade e mais. Se atualize e saiba o que aconteceu no país de uma vez só em poucos minutos.

COVID-19 no Japão nas últimas 24 horas

Neste domingo, 38 das 47 prefeituras japonesas afirmaram não saber se terão profissionais de saúde suficientes para administrar as vacinas contra o novo coronavírus e que devem ser entregues ao Japão ao final de fevereiro (de acordo com as autoridades japonesas).

Medico japonês aplicando injeção
Autoridades municipais temem falta de pessoal para aplicação de vacinas nas populações locais

Um levantamento realizado pelo Kyodo News revelou que 30 capitais se mostram preocupadas com a segurança dos locais onde serão realizadas as vacinações. Em 18 prefeituras, a maior preocupação é em relação aos custos e em 16 prefeituras, o maior desafio será a logística de armazenamento das vacinas.

As cidades de Morioka, Toyama, Kofu, Koichi e Miyazaki, talvez, sejam obrigadas a adiar as vacinações. Sapporo, capital de Hokkaido, não pôde fazer nenhum planejamento, pois não sabem quando, quantas e quais vacinas serão enviadas.

A capital da prefeitura de Fukui pediu ao governo informações mais precisas sobre a segurança e eficácia das vacinas que serão enviadas devido a preocupação com os idosos que serão imunizados.

Os primeiros a serem vacinados contra o coronavírus no Japão serão os profissionais de saúde e quem atua na linha de frente no combate a pandemia, idosos a parti de 65 anos, pessoas com comorbidades e cuidadores de idosos.

Pandemia de coronavírus no Japão
Mulher transita nas ruas de Tokyo em meio a pandemia do novo coronavírus SARS-CoV-2

Tokyo divulgou nesse domingo 986 casos de COVID-19 e segue a região mais afetada do país. Em todo o Japão foram registrados 3.988 casos da doença e 50 mortes. Os dados apresentados são resultados dos testes realizados no dia 21 de janeiro, quinta-feira.

Depois da capital japonesa, as regiões mais atingidas pelo novo SARS-CoV-2 são Kanagawa (555), Osaka (421), Chiba (328), Saitama (285), Fukuoka (224), Hyogo (178), Aichi (164), Kyoto (115), Hokkaido (94), Okinawa (76), Shizuoka (51), Ibaraki (46) e Kumamoto (43).

Sistema de saúde japonês é extremamente pressionado em meio a pandemia

Apesar da boa resposta a primeira e segunda onda do novo coronavírus SARS-CoV-2 no Japão, a terceira onda está sendo assoladora com uma forte pressão sob um sistema de saúde já carregado.

Leito hospitalar para pacientes com o novo coronavírus no Japão
Desde novembro de 2020 há uma forte demanda por leitos para pacientes infectados com o SARS-CoV-2

Até a publicação desse artigo, 15.058 japoneses diagnosticados com COVID-19 aguardavam por um leito nos hospitais e fazem parte da lista de espera em hospitais de todas as regiões.

Enquanto não conseguem uma vaga nos hospitais, os contaminados fazem isolamento em casa, hotéis e outros locais apropriados ou adaptados para receber pessoas infectadas.

Sistema de saúde japonês pressionado pela COVID-19
Equipes de saúde seguem pressionadas pela alta demanda de vagas nos hospitais e muitos infectados aguardam um leito nas listas de espera

Desde novembro de 2020, o sistema de saúde do Japão viu o número de pessoas com sintomas graves e que precisavam de internação aumentar em cinco vezes. Na prefeitura de Hyogo, por exemplo, o aumento foi de 5,8 vezes.

Mesmo com o estado de emergência declarado em 11 das 47 prefeituras, as contaminações continuam altas, embora o número tenha diminuído ligeiramente nesse domingo em relação aos dados divulgados nos últimos 12 dias.

Mitsubishi ganha contrato com satélite militar do Ministério da Defesa do Japão

A Mitsubishi Eletric Corp. ganhou um contrato com o Ministério da Defesa do Japão após vencer uma licitação pelo valor mais baixo. O projeto visa monitorar mísseis de nova geração dos principais adversários regionais.

Tanto China quanto Rússia desenvolveram mísseis supersônicos e com voos irregulares nos últimos anos, o que dificulta a previsão da trajetória e da interceptação desse tipo de armamento.

Mistubishi ganha contrato com o Ministério da Defesa do Japão
Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Mitsubishi Eletric Corp. na matriz em Tokyo. Foto por Toru Hanai

Além das duas super potências militares, a Coreia do Norte também está desenvolvendo mísseis com trajetória irregular e com combustível sólido. O Ministério da Defesa vê esses movimentos como altamente preocupantes considerando as atuais tensões na região.

O contrato de baixíssimo valor é considerado sem precedentes. Questionado sobre o motivo de aceitar um contrato por um preço tão baixo, a Mistubishi se recusou a comentar sobre o valor do contrato.

A corporação será responsável por monitorar as tecnologias militares de ponta dos países adversários utilizando uma série de satélites para identificar potenciais ameaças à segurança nacional.

Marubeni Corp. muda a política de contratação e prevê fim da hegemonia masculina até 2024

Uma das empresas mais importantes de comércio do Japão se comprometeu a acabar com a hegemonia masculina na corporação até 2024. Para atingir esse objetivo, a Marubeni aumentará em 50% o número de contratações femininas.

Atualmente, as mulheres representam apenas 10% dos cerca de 3.300 funcionários da empresa. Já em cargos superiores como gerentes, apenas 6,4% são ocupados por mulheres.

Marubeni acabará com hegemonia masculina na corporação até 2024
Sede da Marubeni Corp. em Tokyo. Foto por Tomohiro Ohsum

Nessa primavera (2021) serão contratados entre 100 a 110 novos colaboradores, dos quais 30% serão do sexo feminino. Um recorde para os padrões da empresa, pois percebeu que o status quo da empresa não se manterá da mesma forma nos próximos 20 anos, se nada for feito.

De acordo com o presidente da Marubeni, Masumi Kakinoki, “é essencial sair de um grupo homogêneo para permitir que a empresa responda com flexibilidade mudanças no ambiente de negócios”.

Aquecimento global está modificando as quatro estações no Japão

Especialistas do Wakayama Local Meteorological Observatory afirmaram que por conta do aquecimento global, os ciclos de outono e primavera foram alterados.

Jardim Momijidani no outono
Jardim Momijidani, castelo de Wakayama, prefeitura de Wakayama

A conclusão veio após estudos realizados com amostras de uma árvore de acer (maple) do Momijidani Garden, no castelo de Wakayama. O jardim é monitorado desde 1953.

De acordo com o Observatório, as folhas de outono mais tardias aconteceram em 21 de dezembro de 2006. Em 2020, as folhas de outono começaram em 14 de dezembro.

Desabrochar das sakuras em Tokyo
Temporada das sakuras em Tokyo

Meio século atrás era comum que acontecesse em novembro, porém, houve um aumento de 1,5°C na temperatura nos últimos 100 anos. Isso significa que o outono está terminando mais tarde e a primavera começando mais cedo.

Em 2021, regiões como Tokyo terão o início de florescimento das sakuras antes da média nacional e antes da média histórica.

0 comentário em “Giro de notícias do Japão: 24 de janeiro de 2021, domingo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s