Bandeiras da China e do Japão lado a lado
Destaques Notícias Política

China e Japão se unirão para restabelecer economia e adotar postura pacífica em conflito por ilhas

O ministro de relações internacionais da China, Wang Yi, e o ministro de relações internacionais do Japão, Toshimitsu Motegi, se encontraram em Tóquio

Segundo informações da agência de notícias Associated Press, os ministros de relações internacionais do Japão e China concordaram em unir ações para combater a pandemia de coronavírus e promover a revitalização econômica dos países.

O ministro Wang Yi chegou ao Japão na quinta-feira, 26 de novembro, em Tóquio para se encontrar com Toshimitsu Motegi e no dia seguinte com o primeiro-ministro Yoshihide Suga.

Encontro

Ministro das relações internacionais japonês Toshimitsu Motegi (à esquerda) e o ministro das relações internacinais chinês Wang Yi em coletiva de imprensa em Tóquio no dia 26 de novembro.

Uma das medidas envolve investir em um programa para permitir que visitantes estrangeiros da China e Japão a trabalho de negócios participem de atividades limitadas durante período de quarentena de 14 dias. O Japão fez semelhante acordo com Singapura, Coreia do Sul e Vietnã.

O plano é que os dois países estabeleçam o acordo para começar a recuperar a economia afetada pela pandemia.

“Eu espero que o acordo contribua para energizar a economia entre Japão e China, além de servir para promover entendimento mutual,” afirmou Toshimitsu Motegi.

Segundo o ministro, relações estáveis entre China e Japão serão cruciais para toda a região.

China – Japão

As relações antes estremecidas por disputas de território e guerra estavam estáveis nos últimos anos entre Japão e China. No entanto, a China tinha relações estremecidas com os Estados Unidos.

O Japão desde o final da segunda guerra sofre influências estadunidenses enxerga a China como parceiro comercial essencial e enfrenta o desafio de manter as relações entre as duas nações.

Além disso, na reunião ocorrida na quinta-feira, os ministros concordaram em trabalhar juntos em projetos sobre mudanças climáticas, conservação de energia, saúde e comércio digital.

Disputa por ilhas

Os dois ministros também discutiram a disputa pelo território controlado pelo Japão ao oeste do mar da China. Um conjunto de ilhas que o Japão chama de Senkaku e a China de Diaoyu.

Os dois prometeram não aumentar as tensões, além de estabelecer uma linha direta entre militares até ao final de dezembro para melhorar comunicação e segurança entre os dois países.

“A China tem esperança que com o esforço em conjunto, nós poderemos construir um mar ao oeste da China de paz, amizade e cooperação. Isso serve ao fundamento de duas pessoas com interesses a longo-prazo”, afirmou Wang.